Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Cinomose – Entenda tudo sobre essa doença

A cinomose é uma doença viral altamente contagiosa, que afeta principalmente cachorros filhotes e idosos que estejam com a imunidade baixa. A cinomose possui várias fases e se não tratada a tempo, pode deixar sequelas e até levar o cachorro a óbito. 

Por isso, a melhor saída para evitar todo esse sofrimento para o seu melhor amigo é a prevenção! Continue lendo para entender mais sobre essa doença, como é transmitida, sintomas e como prevenir seu aumigo. 

O que é a cinomose?

A cinomose é uma doença viral, altamente contagiosa e multissistêmica, ou seja, pode atingir diversos órgãos do pet. Além de ser muito grave e com alta taxa de mortalidade, a cinomose, quando não tratada a tempo, pode deixar sequelas no cachorro. 

Vale lembrar que a cinomose é uma doença exclusiva dos cachorros e não é transmitida para seres humanos e nem para outros animais domésticos, como gatos, aves, roedores, etc. Mas pode afetar raposas e guaxinins, por exemplo.

Cachorros de todas as idades e raças podem sofrer com a doença. Mas geralmente, as principais vítimas são cachorros que estão com o sistema imunológico enfraquecido ou pouco desenvolvido como os filhotes. Sendo assim, costuma acometer cães que ainda não terminaram o esquema vacinal ou que não costumam receber o reforço anual da vacina múltipla (V8, V10 ou V11).

Como é transmitida?

A infecção da cinomose pode ser de forma direta, pelo contato com outros animais já infectados e quando se respira o ar contaminado, ou de forma indireta pelo contato com secreções, urina e fezes infectadas pelos animais doentes. 

Além disso, casinha, cobertores e alimentos dos animais infectados também podem conter o vírus, que pode sobreviver no ambiente por até três meses. 

Consultórios veterinários também precisam de muita atenção! Se seu pet ainda não completou o esquema de vacinas, não permita que ele tenha contato com outros cães, com o chão ou gaiolas que não foram higienizadas.

Quais são os sintomas?

Os sintomas da cinomose são pouco específicos, comuns também em outras doenças. E como mencionamos no início do artigo, por ser uma doença multissistêmica, ela possui algumas fases e com a evolução do quadro pode acometer diversos órgãos.  

É muito importante que ao perceber qualquer um dos sintomas no seu aumigo, consulte um veterinário imediatamente. A cinomose é uma doença de alto risco, portanto, não espere o quadro se agravar. 

Fase respiratória – Normalmente no estágio inicial da cinomose, os primeiros sintomas a aparecer são relacionados à respiração do pet e se não tratado corretamente, pode levar à segunda fase da doença:

  • Tosse seca ou com secreção
  • Pneumonia
  • Secreção nasal
  • Dificuldade respiratória
  • Secreções oculares
  • Febre aguda
  • cãozinho abatido

Fase gastrintestinal – Na segunda fase, depois de afetar a respiração, o pet pode passar a sentir desconfortos gastrointestinais:

  • Vômitos
  • Diarreia 
  • Falta de apetite e perda de peso
  • Dor abdominal

Fase neurológica – Na terceira fase da doença, o pet passa a ter o neurológico afetado:

  • Vocalização involuntária (como se estivesse sentindo dor)
  • Alteração comportamental
  • Convulsões
  • Contrações musculares involuntárias
  • Andar em círculos
  • Movimentos de pedalagem
  • Paralisia

Fase cutânea – Na última fase, o pet apresenta problemas na pele. Os principais sintomas são:

  • Pústulas abdominais
  • Hiperqueratose – o espessamento no focinho e nas almofadinhas das patas
  • Conjuntivite
  • Lesões na retina

A cinomose canina tem cura? Como é o tratamento?

Bom, apesar de ainda não existirem remédios que combatam diretamente o vírus, a cinomose tem cura quando é descoberta logo no início. Pois o tratamento é feito a partir de medicamentos que ajudam a combater os sintomas e a impedir o desenvolvimento da doença. 

Porém quanto mais ela encontrar espaço para se desenvolver no organismo do cão mais difícil será tratar e o sofrimento do animal será maior. Por isso é tão importante o diagnóstico precoce e muita dedicação e acompanhamento da família e do veterinário responsável. 

Entre os medicamentos que podem ser receitados pelo veterinário, dependendo da manifestação da doença, estão antibióticos, suplementos nutricionais, expectorantes, broncodilatadores, antitérmicos, anticonvulsivantes, etc.

Uma recomendação muito importante, também, é manter o cãozinho em um ambiente limpo e com temperatura agradável, além de oferecer uma alimentação balanceada para amenizar os sintomas.

O que fazer para prevenir a cinomose no meu doguinho?

Não há dúvidas que a vacinação é a melhor maneira de proteger seu amigo de quatro patas. A vacina para cinomose está dentro do pacote oferecido pelas vacinas V8 , V10 e V11.

Além disso, é importante fazer consultas frequentes com o veterinário e evitar que seu pet tenha contato com animais infectados e seja exposto ao mesmo ambiente em que vive ou viveu um animal com o vírus.

Se você quiser se informar sobre as vacinas que seu pet precisa tomar anualmente, é só clicar aqui

Gostou das dicas? Para ficar por dentro de mais novidades não se esqueça de baixar o app da Vets e nos seguir nas redes socias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se para receber a News

Principais matérias

Baixe o App

Instagram da Vets