Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Vacinas para cachorro – Um guia completo!

Afinal, o que são as vacinas para cachorro?

Bom, as vacinas para cachorro são produzidas a partir de bactérias ou vírus atenuados, são um método de imunização bastante seguro e têm como função induzir o organismo a produzir sua própria defesa, os famosos anticorpos, para fortalecer o sistema imune e combater determinadas doenças. 

Logo mais te contaremos quais são as principais vacinas e como elas atuam no organismo do seu aumigo.

Qual a importância das vacinas para cachorro?

É importante pensar que a vacinação é indispensável por dois motivos: a saúde do nosso animal e a saúde pública.

Quando falamos da saúde dos nossos bichinhos, quando vacinados, ele está protegido de doenças graves, que podem ter consequências muito sérias e sequelas para o pet.

Já quando nos referimos a saúde pública, falamos do coletivo, tanto sua família quanto a sociedade em geral. Assim, quando vacinamos nossos pets também estamos ajudando a proteger todo mundo e impedindo que doenças se disseminem e afetem outros animais e humanos.

É sempre importante lembrar que algumas doenças zoonoses, como a raiva, podem ser transmitidas para humanos e não tem cura, a única forma de prevenção é a vacina. 

Qual a melhor vacina para cachorro – nacional ou importada?

Ainda hoje, não existem muitas informações a respeito da diferença entre as vacinas para cachorro nacionais e importadas. 

As vacinas importadas já são bem vistas pelo mercado veterinário de fora do país, e mesmo assim, para poderem ser comercializadas no Brasil, também são submetidas a novos testes aqui, comprovando sua eficácia.

Independente de ser nacional ou importada, o mais importante é que as vacinas sejam armazenadas e refrigeradas de acordo com os padrões exigidos pela Anvisa, para que continue cumprindo com sua função.

Todas as vacinas de cachorro são obrigatórias?

Diferente do que muitos possam pensar, ainda hoje, no Brasil não existe um calendário de vacinação oficial e muito menos uma legislação que torne a vacinação de animais obrigatória.  

Apesar disso, é muito provável que você tenha dificuldade em viajar com seu cãozinho ou deixá-lo em creches e hoteizinhos. Uma vez que a maioria das doenças são transmissíveis para outros animais, e algumas até para humanos, mesmo sem uma lei é fundamental que as vacinas sejam aplicadas para proteger seu cãozinho e sua família! 

Não deixe de vaciná-lo, nunca!

Vacinas para cachorro essenciais

Chamadas de vacinas essenciais, essas são aquelas que devem ser dadas para evitar doenças que podem ser fatais e doenças zoonóticas, ou seja, que podem ser transmitidas para humanos. 

As duas principais vacinas essenciais são a polivalente V8 ou V10 e antirrábica.

Vacina V8 ou V10

Conhecidas como polivalentes, as vacinas V8 e V10 são vacinas que protegem o seu amigo contra doenças de origem viral e bacteriana, que geralmente são graves e até mortais para os cachorros. 

O nome foi escolhido porque elas protegem de diversa doenças em uma única picadinha, sendo:

  • Parvovirose
  • Coronavirose
  • Cinomose
  • Parainfluenza
  • Adenovirose
  • Hepatite Infecciosa
  • Leptospirose: No caso da V10 são 4 tipos diferentes de Leptospirose. 

Vacina da raiva

Já a vacina antirrábica protege o pet contra a raiva, uma doença fatal que ataca o sistema nervoso através de um vírus e pode causar muitos sintomas como, agressividade, desorientação, convulsões e paralisia. 

A Raiva não é uma doença exclusiva de cães e pode ser transmitida para diversos animais, como gatos, vacas, cavalos e também para humanos.

Infelizmente, a Raiva ainda não possui tratamento, por isso, a única forma de proteger seu pet é através da vacinação. 

Vacinas para cachorro não-essenciais

As vacinas para cachorro chamadas não-essenciais, levam esse nome pois são mais importantes para um grupo de cães do que para outros, levando em conta o risco de exposição às doenças e o estilo de vida do Pet, como é o caso da vacina para Leishmaniose. 

Além disso, as vacinas de Giárdia e Tosse dos Canis também encontram-se nessa categoria. Pois apesar de fazerem parte do esquema vacinal recomendado por praticamente todos os veterinários, essas são doenças mais brandas, porém ainda com alto grau de contaminação.

Vacina da Leishmaniose

A vacina contra leishmaniose não é obrigatória, mas é indicada pelos veterinários dependendo do estilo de vida do pet. Um cãozinho que vive no litoral ou costuma frequentar praias, será mais propício a ser vacinado, por exemplo. 

A leishmaniose, é uma doença infecciosa causada por um parasita por meio da picada do mosquito palha e costuma ser mais comum em climas tropicais e cidades litorâneas. 

Ela se apresenta de duas formas, como leishmaniose visceral onde afeta, principalmente, os órgãos das vísceras, como o baço, o fígado e a medula óssea; E a segunda forma como leishmaniose cutânea, causando feridas avermelhadas na pele, que podem evoluir para feridas nas mucosas, como a boca e o nariz.

Vacina da Giárdia

A vacina da Giárdia, protege os doguinhos contra a doença chamada giárdia canina, causada por um parasita que infecta e passa a morar no intestino do pet, causando inflamação no local e diversos sintomas, como diarréia, vômito e perda de peso, o que pode ser confundido com diversas outras doenças. 

A giárdia pode ser transmitida de algumas formas, sendo a mais comum através das fezes infectadas ou o contato com a água ou solo contaminados.

Vacina da Gripe canina

A Gripe canina, também conhecida como Tosse dos Canis, é uma doença respiratória causada pelo vírus Influenza A. Como o próprio nome sugere, a gripe canina tem como principal sintoma a tosse e outros muito parecidos com a gripe dos humanos. 

Apesar de não ser tão grave e, relativamente comum nos meses de frio, a gripe canina é bastante contagiosa, e as formas mais comuns de desenvolvê-la é tendo contato com outros cães infectados e compartilhando bebedouros e comedouros públicos.

Calendário de vacinas para cachorro – Um guia prático

VacinaIdadeDoses
V8 ou V106 a 8 semanas 3 a 4 com intervalo de 3 a 4 semanas
Gripe canina12 semanas2 com intervalo de 3 a 4 semanas
Giárdia12 semanas2 com intervalo de 3 a 4 semanas
Raiva canina16 semanasDose única aos 4 meses
Leishmaniose16 semanas3 com intervalo de 3 a 4 semanas

*Todas as vacinas necessitam de reforço anual.

Tem problema atrasar a vacina do cachorro?

Você já deve ter se perguntado: tem problema atrasar a vacina do cachorro? A resposta é SIM. Isso porque a imunização completa deve ser feita dentro do período recomendado para que o doguinho continue protegido de tantas doenças.  

Dica de amigo: mantenha a carteira de vacinação em dia e acompanhe de perto, com um veterinário, a saúde do seu cachorro. Para facilitar você pode cadastrar todos os dados do seu pet, inclusive o dia dos reforços anuais, direto no app da Vets e ser avisado sempre que a data estiver próxima! 

Mas e se a vacina for atrasada mesmo assim? Nesse caso, procure imediatamente o médico veterinário de sua confiança. É preciso estar atento aos riscos, pois deixar a vacinação de lado deixa o cãozinho vulnerável a doenças graves e fatais.

Não sei se o cachorro foi vacinado: e agora?

Como já comentamos inúmeras vezes aqui, a vacinação de cães e gatos é o método de proteção mais eficiente contra doenças infecciosas e também uma forma de proteger a saúde de todos que convivem com os pets dentro de casa.

Por isso, caso você tenha ganhado ou adotado um catioro sem histórico de vacinação, ou até mesmo se perdeu o prazo da dose anual do seu pet, é de extrema importância consultar um veterinário para saber o melhor esquema vacinal.

Nesses casos, geralmente, o peludo vai receber de duas a três doses da vacina v10 e uma anti-rábica, para que ele possa voltar a criar os anticorpos e resistência a determinadas doenças.

Não deixe de marcar uma consulta com os veterinários especializados da Vets! Cuide da saúde do seu melhor amigo e da sua família!

As vacinas para cachorro podem dar alguma reação?

É importante mencionar que, assim como nos humanos, os cachorros também podem ter efeitos adversos relacionados às vacinas. Porém não se preocupe, é completamente comum e deve passar em 24h. 

Em geral, é muito normal que eles manifestem febre, inchaço no local da aplicação e ficarem um pouco desanimados e sonolentos. 

Apesar de sintomas passageiros, é muito importante ficar de olho no pet, e se notar qualquer outra reação ou se os efeitos forem persistentes, não hesite em procurar o veterinário.

Quantos dias depois da vacina o cachorro pode sair na rua?

Com os filhotes, prevenir é sempre a melhor opção! A recomendação dos veterinários é que o pet não tenha contato direto com a rua até que tenha finalizado seu esquema de vacinação. 

Quando o pequenino ainda não está completamente imune, a rua pode ser um lugar muito perigoso para sua saúde, devido ao alto risco de contaminação. E o mesmo se aplica a visitas ao pet shop, antes de tomar seu primeiro banho é indicado que o pet já tenha tomado as vacinas para evitar qualquer tipo de infecção.

E seu o seu peludo já não é mais um filhote, não precisa se preocupar! Basta não atrasar o reforço anual e ele estará sempre protegido.

Dicas para o dia da vacinação

E aqui vão algumas dicas para quando for realizar a vacinação do seu aumigo: 

1. Opte por aplicar a vacina em um local onde o cachorro se sinta confortável. A vacinação em casa é uma ótima opção, pois seu pet vai se sentir seguro, confortável e o trabalho do veterinário será mais fácil. 

2. Seja seu cachorro calmo ou mais agressivo, é importante ter uma pessoa no local que vá conseguir controlar o pet caso, para caso de muito nervosismo ou até mesmo se ele tentar fugir.

3. Após a vacinação o cachorro pode ter uma mudança comportamental nas primeiras 24h. Isso acontece porque o organismo dele está assimilando a vacina. Então, não precisa se preocupar se ele parecer mais quietinho ou triste. Mas sempre fique de olho e chame o veterinário caso os sintomas não passarem depois de um dia, ok?

4. Converse sempre com veterinário e deixe claro todo o histórico do cachorro, é muito importante que antes da vacinação o veterinário saiba de tudo! Isso porque animais que apresentam alguns tipos de doenças não podem receber determinados tipos de vacina. 

Gostou das dicas? Para ficar por dentro de mais novidades não se esqueça de baixar o app da Vets e nos seguir nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *